05/01/2016

Quase sem querer

Quase sem querer, esquecemos praticamente todos os dias da grandeza do tempo e de seu significado tão marcante em nossas vidas. Ele passa rápido demais ou nós que travamos muito no mesmo lugar? Vai passar? Vou superar? As coisas vão mudar? São tantas perguntas sem respostas. Não há loucura mais bonita do que a de parar e pensar no tempo. As idas e vindas, os risos e choros, a falta de ar e o coração mais acelerado. Lembra? Todos que conheceu, todos que se afastaram, os que se foram, as danças, risadas, notas, entre tantas outras coisas, eu sei que você lembra. Às vezes, as memórias gostam de tomar conta, mais que o normal. Levando embora nossa paz e a noção de que tudo aquilo já foi, e que tudo bem tudo ter passado. Só que, quase sem querer, em alguns dias, nos entregamos a saudade, nos enrolamos, deixamos que tudo isso nos tire o sono, ouvimos aquela música, vemos aquelas fotos e escrevemos um texto ou outro, só pra ver se algo faz mais sentido, mas não faz. Se para alguns, o tempo parece passar rápido demais, para outros, cada dia parece uma semana. Acredite, é possível. 

Admita, esquecemos muito, até mesmo quase sem querer, que a vida não é como desenhamos. Quem dera se cada traço conseguisse contar com a continuidade do tempo, se fossem reforçados e coloridos com toda a beleza que imaginamos. Como tudo seria? Como você seria? Se conseguíssemos salvar as pessoas ou pelo menos a nós mesmos, seria diferente, mas não é. Não por agora. Lembre-se, tudo acontece a partir do momento que você decide. Pode demorar, pode doer, pode fazer chorar, mas o tempo não brinca. E você sabe, o que tá fazendo aí, se isso vale seu tempo? Pode não ser como você desenhou em suas melhores noites, aquelas mais criativas com uma positiva falta de sono, mas tem um pontinho importante nessa história: Talvez, a graça está em não ser exatamente da forma que você queria e na forma que você lida com isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário