28/07/2015

Não pensar, só sentir

Eu queria conseguir, só por um momento, não pensar no para sempre. Loucura minha? Talvez. As pessoas ficam felizes em acreditar que algo – praticamente tudo – é infinito, principalmente em dizer isso. Nossa, como elas amam falar, mas sei bem que a maioria acha que é pura ilusão. “É pra sempre, sempre, sempre”, tá bom. Loucura delas! Só que para alguns, a realidade é outra. Sorte daqueles que naturalmente, descobrem o quanto que é bom não ter a necessidade de pensar nisso. Você entende? Loucura nossa. Sabe quando você está com alguém e não percebe o tempo passar? Quando está fazendo algo que gosta e simplesmente, é como se o tempo nem existisse? É como se você realmente se sentisse infinito, é como se não tivesse nenhuma necessidade de pensar no tempo. Uma sensação inacreditável torna-se dominante, a ponto de não precisar ser questionada. 

São momentos que você normalmente lembra e deixa o sorriso frouxo escapar. Como por exemplo aquelas horas em que a barriga doeu de tanto rir, que a ansiedade parecia tomar conta de todo o seu corpo até ser substituída pela sensação confortável de um abraço, aquele beijo de duração inexplicável e aquela conversa que valeu por muitos anos. Momentos raros, especiais, incomparáveis, quem sabe, até insubstituíveis. Parece mentira, histórias que as pessoas contam para que a gente resgate nossa fé na verdadeira felicidade, pena que a gente esquece algo importante, como diz Jeneci, felicidade é só questão de ser. Só isso. Loucura, não é? De um jeito ou de outro as coisas se ligam no meio de tantos momentos e detalhes aparentemente simplórios. 

Um dia, talvez você perceba algo batendo forte dentro do peito, avisando que aquilo que está vivendo um dia vai acabar, você se lembrará de que nada dura para sempre, mas mesmo assim, isso não vai te afetar em nada, pois a necessidade de pensar no fim e no motivo dele, se tornará pequena demais diante à tudo o que se está vivendo. Então finalmente nesse momento, conseguirá enxergar que o tempo tornou-se apenas um detalhe de toda a aventura. Ah, que maravilha quando nos sentimos assim. Questão de sorte? Quem sabe. A verdadeira sorte não é pensar no para sempre, mas sim senti-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário