21/02/2015

Comentários: alguns filmes indicados ao Oscar 2015

E dia 22 está chegando com aquilo que é melhor do que Carnaval e outros feriados: o Oscar. Como uma grande cinéfila (viciada em filmes), que não vê problema algum em ter que ver os indicados para fazer críticas, tive tempo para assistir algumas produções, graças ao método eficiente e legal do "assistir online" e deixo aqui minhas impressões (irrelevantes para você, mas o ego de estudante de jornalismo é maior).

WHIPLASH: fazia tempo em que eu não entrava de cabeça no roteiro de um filme. Todos os elementos de filmagem contribuem para que o telespectador sinta as mesmas emoções dos atores envolvidos. A posição da câmera, a fotografia, a iluminação, as falas e é claro, a boa direção. Fez por merecer todas as indicações, porque vemos os bastidores do jazz estadunidense na sua mais completa realidade, desde o sonho de um baterista, até o ultrapassar de limites de um professor autoritário. O filme todo tira o fôlego.








THE IMITATION GAME: ainda sinto receio de assistir aos filmes do Benedict Cumberbatch, simplesmente pelo medo de me decepcionar, mas sempre sou surpreendida e acabo quebrando a cara. Ele é um dos meus atores favoritos e agora, é do público americano também, pois essa é de longe a melhor atuação dele. Mas vamos aos fatos, conseguiram tornar a vida de Alan Turing um drama aceitável para os críticos, o filme focou em sua sexualidade e na invenção que ajudou a Alemanha perder a Segunda Guerra Mundial, medindo tudo ao seu devido tempo. Não vejo problema algum no público saber que ele sofria na escola, foi condenado por ser homossexual e teve que tomar remédios hormonais para castração (horrível, eu sei), mas também não vejo problema em saber que ele decifrou aquilo que atrasou a guerra em dois anos. O filme está sendo injustiçado nas grandes premiações, e mesmo não trazendo muita coisa de original no quesito fotografia e ambientação, o filme consegue provar que Benedict Cumberbatch é o melhor ator da nossa nova geração. 

BIRDMAN ou THE UNEXPECTED VIRTUE OF IGNORANCE:  Birdman é chato, porém com uma fotografia (ou a falta dela) incrível e um roteiro diferente, que eu nunca tinha visto antes. A trilha sonora (ou a falta dela) me instigou a continuar com o mesmo; porque só ouvimos os batuques de uma bateria. Isso mesmo, os batuques de uma bateria é a única trilha que você ouvirá e as luzes ambientes são as únicas que dão vida ás imagens, porque não houve uso de nenhum tipo de refletor ou luz artificial nas gravações. Depois de saber disso, eu correria para os cinemas! Uma confissão pessoal: quase matei um amigo por ele dizer que pensava que o filme era sobre um novo super-herói da Marvel e que por isso parou na metade. Esse é um erro comum na audiência de Birdman, mas o filme revela muito mais do que um velho ator preso em seu papel passado. É uma conversa sobre a sua própria existência, seu alter ego, como dominar sua mente, seu corpo e como sobreviver ao seu passado.

THE THEORY OF EVERYTHING: vamos direto ao ponto: muita gente não mantêm uma simpatia pelo grande (na minha opinião, um dos melhores) Stephen Hawking e por isso foi grande a minha surpresa ao ver que o filme em sua homenagem vem arrecadando muitos prêmios. Mas vamos deixar claro: o prêmio de Melhor Ator vai para Eddie Redmayne. Não só porque ele ganhou o Golden Globes, SAG e Bafta Awards, mas a sua atuação, é, de longe, a melhor de 2015. E não deixemos de lado a atriz Felicity Jones, que mostrou a coragem e o desgaste físico e emocional de Jane Wilde, ela foi brilhante e se mostrou uma grande atriz (para quem não a conhecia). Emocionante e muito bem preparado, algumas cenas vão te fazer chorar e outras, vão te fazer se odiar por não acreditar nas teorias de Stephen Hawking.




Não percam o Oscar no dia 22 de Fevereiro, logo mais no domingo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário